Amitié

Um site. Uma amizade inesperada.
Ambos necessitavam de uma pessoa que eles pudessem falar sobre seu dia-a-dia sem problemas ou julgamentos (no judgements); ambos necessitavam de uma nova amizade – mas com uma condição: que eles não se conhecessem pessoalmente.

“Sabe qual é a melhor parte das fanfics? Elas nos fazem sonhar. Principalmente Amitié. É a idealização de algo que todas desejamos, que saberemos que nunca teremos *ao menos com o David*, mas que o sentimento fica lá. De esperança, né? haha” 
~millagrohl


“Como pode ser tão perfeita? Meu Deus! Nunca li uma fanfic tão incrível quanto a sua, sério! É um romance lindo, uma amizade maravilhosa e a cada novo capítulo consegue ficar melhor ainda!!! 

Cada vez que chega uma nova notificação sua eu corro pra ler, tipo, prioridade número 1 da minha lista”

~ Jully_Bezerra

Luiza, a personagem principal da história, é gente como a gente. Tem suas lerdices, brincadeiras, manias, defeitos, qualidades e encantamentos. O que torna tudo ainda melhor é que todas as leitoras se encontram na personalidade dela, nem que seja por uma coisa minima. 


“Você, além de escrever maravilhosamente bem, me descreve total nessa personagem! O gosto musical, as séries, até a idade…….. “
~ Timberdl4


“Você humanizou tão bem cada um em sua história que é impossível não se sentir envolvida e perder a linha entre o que é real e o que é ficção. Acho que todas nós prendemos a respiração quando dá alguma merda com a Luiza ou suspiramos com as fofices do Luiz. E dá gosto ler histórias assim. 
Amo a sua história e fico na ansiedade a cada sábado por cada atualização. “

~millagrohl

A história se passa entre o Rio de Janeiro, Lisboa e Londres. Tudo começou em 2012. Luiza Donatto, num desses surtos que aposto que todas nós já sentimos uma vezinha, decide criar um perfil num site de amizade. FindFriends.com. 

Sinopse: Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat, Whatsapp, Viber… Orkut… MSN… Quem nunca fez um amigo virtual? Eu já fiz vários, de tantos lugares diferentes que nem sei por onde começar! Dentre esses amigos, um em especial se tornou o melhor… Mas eu nunca pensei que ele seria o que é, de verdade, ou que eu descobriria dessa maneira. Logo eu, que nunca soube lidar com nada muito chocante (um sorriso bonito, por exemplo). Agora… Não sei mais o que fazer. 


“Essa fanfic é a minha vida agora, socorro que coisa linda ~infinitoscoraçoes 
Mano, eu achei genial essa ideia toda, e já estou com mil e um planos na mente de como você vai juntar esses dois HSAUSHAUSHAU

Eu super uper me identifico com a Luiza, (…)”

~ Thund3r


Tem histórias que nos fazem pensar na vida, outras que nos tiram do mundo e nos levam para um universo paralelo. O que deixa tudo mais mágico é o quão real a história pode ser. Existem centenas de casos de casamentos, namoros, romances e etc. que começaram despretensiosamente na internet. 

“Sou péssima em me expressar com palavras, mas antes de tudo quero muito dizer que você é fera DEMAIS! Meu Deus. É surreal as emoções que você nos transmite a cada momento e/ou circunstâncias de cada personagem. Sem contar no naturalismo e realismo – tanto seu quanto da sua forma de escrita- que sai com uma exatidão impressionante. Parece que estamos dentro da história; vendo tudo o que se passa bem de pertinho, ao vivo. E na maioria das vezes, é como se tudo estivesse acontecendo com nós mesmo, sabe?
É tanto talento que faz parecer fácil!
Já disse várias vezes e vou continuar sempre repetindo: Sou sua fã!”

~ thaysg

Amitié é uma daquelas histórias que você aguarda loucamente as atualizações e quando elas acontecem, não é suficiente. É como um vício que se alimenta a cada sábado, dias de atualização no Social Spirit. A história que foi começou a ser publicada em 19/02/2015, já contem +1200 comentários, +400 favoritos e já foi fanfic destaque na categoria David Luiz. 

“Mas na real, vim aqui lhe dar os parabéns. É uma fic diferente de todas que eu já tinha lido.. adorei, de verdade. Já estou roendo as unhas na espera pelos próximos capítulos!”
~ timberdl4

Faz mais de uma semana que eu paro, sento no computador, abro a página do blog, abro a página da fanfic e fico olhando a fic, lendo os comentários em destaque e pensando em todas as sensações que Amitié já me proporcionou. E eu não consegui encontrar palavras para explicar nada disso. Não encontrei um adjetivo que chegasse perto de exemplificar o que eu já senti.

“Eu sou muito apaixonada por essa fic, totalmente sem explicação, sério mesmo.”

~ Misst

É uma coisa completamente sem explicação. É único. É impossível ler Amitié e não sentir-se presa, sentir vontade de fazer parte da história, sentir que tudo aquilo poderia ser real e que poderia ser você ali, no lugar da Luiza, tendo aquelas mesmas reações. 
Não encontrei um adjetivo para explicar as sensações, mas achei uma palavra: Sentir. 
Sentir: v.t. Ter a sensação; receber impressão por qualquer dos sentidos; Ser afetado por, sofrer; Ter o sentimento de; apreciar.  

Tenho a sensação de que a Luiza não é um personagem ficticio; recebo a impressão por qualquer sentido que cada palavra ali poderia ser real; sou afetada pelas dúvidas, medos e inseguranças dos personagens; sofro ao vê-los separados ou brigando; tenho o sentimento de que tudo o que eles sentem, é o que cada um de nós deveria, pelo menos uma vez, sentir; aprecio a amizade e o companheirismo deles que reina absoluto acima de qualquer atração, paixão ou medo. 


“Assim, sem palavras pro quanto eu amo Amitié. E eu nunca, NUNCA, NunCA, NuNcA vou cansar de dizer isso. Amo de paixão a forma como você expressa tudo! Ler o que você escreve me inspira muito.”
~bayblue



“A forma com que você escreve é exatamente como com a qual qualquer pessoa adora se envolver: na medida entre o crescimento gradativo de um sentimento e um laço que se firma com esse crescimento; sem pressa, sem luxúria, sem interesses atrativos de corpo, mas de coração. Eu sinceramente AMO, AMO quando me envolvo com uma história que me passa a verdade mais bonita dos seres humanos: quando eles se gostam à parte do que veem, quando eles se gostam por quem são, por quem se deixam ser. O que os olhos não veem, o coração sente, sim! E fica até mais bonito – apesar de ser perigoso.” 
~soufredora

É bem provável que a minha história com fanfics não seja muito diferente da história da maioria que lê fanfics sobre o tal David Luiz… Até a Copa de 2014 eu nunca tinha ouvido falar sobre ele, nem sequer lido algum parágrafo de fanfic (um absurdo, eu sei, mas no judgments). Sempre fui a louca dos shippers, e em um belo dia, durante uma leve crise de estresse por não ver um dos meus casais favoritos juntar os trapos e começar logo o felizes-pra-sempre, lembrei de uma amiga que volta e meia comentava sobre fanfics com personagens de seriado, histórias que a galera escrevia pra recontar as coisas da maneira que os fãs gostariam que acontecesse. E foi num final de semana super ocioso que eu comecei uma busca despretensiosa na internet e acabei caindo no social spirit, na categoria “David Luiz”. E daí pra frente foi só ladeira abaixo. Comecei a encontrar várias fanfics sensacionais, histórias que me deixavam ansiosa pelos próximos capítulos, que mexiam comigo, me faziam rir, chorar, bater palmas… Foram madrugadas e intervalos da escola (em época de enem, no judgments de novo) gastando meu pobre 3g pra ler tudo aquilo. E depois de ler mais de dez fanfics diferentes sobre o David Luiz, depois de conhecer escritoras sensacionais, depois de fazer muitas amizades e passar horas conversando sobre as fanfics que a gente acompanhava, me vi sendo dona de uma ideia de relacionamento meio diferente das que eu estava lendo. Amitié surgiu, primeiramente, de uma necessidade pessoal, de uma vontade louca de ler uma história que contasse uma relação de amor menos carnal, mais sentimental, com todas as chatices e dramas do dia a dia. Eu queria ler sobre uma personagem comum, queria me identificar com as crises, dificuldades e alegrias, com o cotidiano quase simplista, com os gostos musicais, com os amigos… Queria ler algo próximo de mim. E fiquei com esse desejo guardado, porque ainda me faltava ideia e tempo, e foi durante as férias que recebi um pouco dos dois. Tive um sonho bem bosta (porque não me lembro de praticamente nada do que se passou) sobre uma menina que tinha um amigo virtual famoso, e acordei borbulhando de imaginação, visualizando uma série de acontecimentos que poderiam contar com a presença do tal David Luiz. Comecei a escrever algumas coisas no word, e ainda meio insegura, fui mostrar para a Fernanda (sim, uma das maravilhosas que escrevem a Diário de uma Iniciante em Copa do Mundo, que me inspiram e que, inclusive, é a minha história preferida). Ela me encheu de motivação, elogios e dicas, e só depois disso tive a coragem de postar a história no site e compartilhar com a galera (aliás, obrigada, Fê). E aqui estamos, quase um ano depois! Com Amitié eu quis escrever um romance daqueles que se arrasta por uma amizade profunda, que em algum momento traz confusão na sua cabeça e você se vê nutrindo um sentimento que cresce dentro de você já faz tempo, e é muito mais profundo do que imaginava. Queria a sinceridade da amizade, o carinho do romance, os furos da vida e os detalhes da rotina. Queria, principalmente, uma parceira para o jogador que o conhecesse antes do seu ápice na mídia para o romance rolar desinteressadamente, por isso a história começa antes da transferência para o Chelsea, com uma amizade sem segundas intenções. A fanfic começou com um desenrolar bem devagar, o que deixou o pessoal um pouco super ansioso, mas as coisas foram tomando forma e hoje acredito que temos acontecimentos para cerca de cem capítulos (o que me deixa um pouco nervosa e receosa, mas bola pra frente)! A inspiração física para a personagem veio logo no início da escrita, enquanto eu fazia uma pesquisa de atrizes que tivessem boas fotos, e coincidentemente a Isis Valverde protagonizava a novela das 18h e voilá, já identifiquei a Luiza nela. Inevitavelmente coloquei um pouco dos meus amigos e de mim na história, e espero que no fim de tudo eu consiga passar para o pessoal a minha visão de romance, de mundo, minhas ideias, e, principalmente, bons momentos de leitura!
~~ duv1d3 aka Autora de Amitié

Aliás, Isis Valverde é tão modelo oficial da Luiza que praticamente a cada capítulo temos uma montagem nova de Isis com o David. Dá pra crer? Só pra quem pode, mesmo #xora #tksmaridasmontagem 






“Após ler Amitié até aqui, só resta agradecê-la pelo carinho, cuidado, criatividade, inteligência e compentência que escreve a sua história. 
Obrigada pela magia que nos impõe a cada parágrafo lido. 

Obrigada por escrever sobre a magia da amizade/ amor que infelizmente hoje estão tão banalizados por aí… 
Obrigada por não nos deixar esquecer que o Príncipe Encantado ainda existe, de uma forma meio tortinha, mas ainda existe!” 
~millagrohl

A fic está em andamento, +16, é postada apenas no Social Spirit e tem grupo no whatsapp. Para entrar em contato com a autora, deixe uma mensagem por inbox em seu perfil do SS: ~~duv1d3
Anúncios

ALÔ ALÔ BRASIL

image

Eu tô com vergonha de mais uma vez aparecer aqui com desculpas por promessas que não foram cumpridas. Mas, realmente, a culpa não é 100% nossa. Infelizmente não somos maiores de idade e não temos nosso próprio dinheiro, portanto nossos desejos e vontades nem sempre se concretizam.
O ano de 2015 foi muito menos conturbado do que o ano de 2014, mas ainda enfrentamos problemas e dificuldades – entre elas um bloqueio descomunal na criatividade para posts, principalmente resenhas. Eu li cerca de 100 livros em 2015, mas não consegui fazer  nenhuma resenha decente.
Então, perdão.
Perdão por ter sumido sem dar explicações, por ter ficado tanto tempo sem fazer um post (bom ou não) e por ter não ter postado mais vídeos. 
Ter um vlog é mais difícil do que parece, principalmente quando se tratam de duas pessoas com vida fora da internet agitada e com horários que raramente batem, especialmente quando a necessidade é gravar algo.
Pensei em desistir (novamente), pensei em recomeçar do zero em outro domínio, outro servidor… Mas perdi muito tempo “conquistando” o temos aqui (é pouco, mas significativo) para simplesmente copiar os posts e “atualizar” algumas coisas em outro lugar.
Vamos continuar aqui, mas isso será uma versão 2.0, assim como nós somos. 
De 2014 pra cá, muita coisa mudou. Nossos pensamentos, princípios, modo de ver a vida, gostos e opiniões sobre diversos assuntos. 2015, em especial, foi um ano de decisões, superações e redescobertas. Nos reencontramos no mundo e agora somos pessoas novas. 
O intuito inicial, ao criarmos esse universo alternativo, era mostrar o que quatro meninas que se consideravam rebeldes e diferentes de todas as outras existentes na face da Terra (bem coisa de adolescente mal comida, admitimos.) achavam do mundo e o quanto a amizade delas era fantástica, eterna e maravilhosa. Bom, as coisas mudaram. O blog surgiu em um momento crucial e a partir do momento em que ele começou a se desenvolver, os problemas foram surgindo conforme ele crescia. E conforme os prolemas surgiam, nós nos desenvolvemos interiormente.
Ele pode não ter importância para quem não fez parte dessa história, mas quem viveu e acompanhou tudo sabe a importância que ele teve em nossas vidas. 

Desejamos um feliz ano novo e que você continue seguindo em frente e se descobrindo mais a cada dia.

[LIVROS] E-books ou físicos?


Hoje a moda é ter um e-reader. 
Ok, ok. É mais prático, não pesa, você não precisa “gastar” dinheiro, menos árvores cortadas e etc. 
Mas, será mesmo que vale a pena deixar o prazer de carregar aquele livro que você tanto ama, que tem tooooooodas as suas anotações/quotes/rabiscos pra todos os lados? 
Confesso que não sou uma pessoa ALUCINADA pela internet, que não consegue viver sem entrar no instagram/twitter/facebook/tumblr/snap/ou-o-que-for (Aliás, não reclamo de estar sem celular há dois anos), por mais irônico que isso possa parecer – já que eu tenho um blog -, e talvez esse seja um dos motivos que me impedem de abrir mãos de ter a minha estante cheia de livros, de gastar dinheiro com eles (Por mais que meu coração aperte a cada nota “dada” ao vendedor).
Não vou ser hipócrita de condenar quem tem e-reader ou quem prefere ler e-books, até porque eu sou pobre e a maioria dos livros que eu leio são emprestados e, durante as férias, eu aproveito pra ler livros que nenhum dos meus amigos tenha e faço o que? Baixo pela internet. É simples, fácil e rápido, é verdade. MAS não tem o mesmo gosto de se ler algo que tá nas suas mãos, que você sente o peso/cheiro, que vê as páginas que faltam e etc. E as bibliotecas, como ficam nessa história?



O fato é: O capitalismo e a tecnologia infiltram-se cada vez mais no mundo, mas será que vale a pena eles estragarem esse mero prazer? 
Sou a favor de e-books em caso de livros que não foram traduzidos oficialmente para o português, que a publicação aqui no Brasil já tenha sido vetada ou esteja muito longe de acontecer. Nesses casos eu sou a pessoa MAIS A FAVOR DO MUNDO!! Mas, se for por “pão-durice”, sou contra. 
Enfim, não vamos deixar a tecnologia acabar com um prazer dos leitores, POR FAVOR!

Cinco posts (4 posts e 1 vídeo) que falam sobre o assunto: 


~~ Queen

TOP FIVE: As melhores batalhas (ou as minhas favoritas) do The Voice Kids

Eu sou uma pessoa que funciona a base de música.
Eu posso não estar com fone de ouvido, mas vou estaa murmurando ou cantando mentalmente alguma música – em qualquer língua e, provavelmente, cantando errado!
Geralmente, a primeira coisa que faço ao entrar na internet é>> Youtube. Jogo um nome de banda, cantor ou cantora aleatório (Depende do clima que eu estou. Pode variar de Nina Simone à The Killers) e seleciono o mix do youtube ou vou na música mais acessada/conhecida.
Mas, se um jeito ou de outro, acabo sempre vendo vídeos de The Voice e The X Factor de todos os lugares do mundo. E ainda é o Kids!
Eu sempre acabo descobrindo músicas e cantores novos, tanto que a minha cantora favorita (Gabrielle Aplin) descobri por uma das batalhas.
Esse post é sobre as minhas 5 batalhas favoritas e, na minha opinião, as melhores do The Voice Kids.

Strong – London Grammar (Hannah, Saphira e Carlo) 


Sou perdidamente apaixonada por essa batalha.
Não importa o que digam, ela é uma das melhores e uma das minhas favoritas.
Conheci London Grammar por esse vídeo e me apaixonei. Strong é uma música fantástica!
É da temporada 2014 do The Voice Kids da Alemanha e a Hannah chegou na final!

All Of Me – John Legend (Jasmin e Richard)


Também da temporada de 2014 do The Voice Kids da Alemanha, essa batalha é extremamente emocionante.
Dessa também saiu um dos finalistas e o vencedor da competição nesse ano, Richard.
Foi uma batalha extremamente concorrida e bem feita. Dá pra dizer que é MELHOR que a de Strong, citada acima.
É de arrepiar…

Unconditionally – Katy Perry (Julia, Caitlin e Selin)


Unconditionally merece entrar na lista pela harmonia. As meninas arrasaram!
Essa música é maravilhosa (A original) e o cover ficou fantástico.
Cada uma delas soube deixar sua marca e ficou bem equilibrado, mesmo com as vozes distintas.

Story Of My Life – One Direction (Amina, Alex e Chiara) 


Essa Directioner que vos fala não poderia deixar de fora um dos melhores covers de Story Of My Life que já ouviu – e olha que são muitos.
As meninas tem entre 13 e 15 anos e ARRASARAM mais do que muito adulto/marmanjo por aí. Convenhamos que essa não é a música mais fácil de se cantar e a mudança que elas fizeram ficou MARAVILHOSA!

Burn – Ellie Goulding (Lena e Lara) 


Burn é uma das música que me venceu pelo cansaço. A primeira vez que a ouvi, cantada pela Ellie Goulding, achei enjoativa. Só que, de repente, todas as pessoas ao meu redor começaram a ouvir essa música SEM PARAR e eu acabei me acostumando e pegando gosto por ela.
E essa batalha só aumentou esse sentimento!
Elas cantam com empolgação, como se a música fosse delas, e a mudança feita também foi fantástica.

Sou a pessoa no mundo que mais perde tempo procurando covers de todas as músicas que gosta e já que no The Voice só existem bons cantores, é por lá que começo.
Fico devendo as audições do Kids e as batalhas e audições do adultos no USA e UK.

[PARCEIROS] Posts favoritos em Livros da Naty Rangel

A Naty é nossa primeira parceira oficial e nada mais justo do que fazer um post sobre os meus 5 posts favoritos que se encontram no blog dela, certo?
Todas são resenhas.

O primeiro post é a resenha de Convergente, da Verônica Roth.
Eu, além de ter adorado a maneira como ela disponibilizou as informações, concordo com tudo que foi dito.

Eu não li Entre o Agora e o Nunca, mas com a resenha do SEGUNDO LIVRO já fiquei curiosa para ler todos.
É uma resenha pequena mas objetiva, adorei os quotes escolhidos.

Essa é uma resenha que estamos devendo à vocês há muito tempo. Falei, falei e falei que a resenha estava sendo preparada mas até agora… Nada.
A Seleção é um dos melhores livros que eu já li e essa resenha está muito boa!

Esse é um dos livros que eu estou pra ler há muito tempo.
E essa resenha só aumentou minha vontade.
Tenho certeza que vai ser uma das minhas leituras favoritas, só pelo que a Naty disse.

Estilhaça-me é um dos livros que eu compraria pela capa e teria uma sorte grande por ser um livro maravilhoso, de acordo com a resenha.
Eu sou perdidamente encantada pela história, apesar de ainda não ter tido a chance de lê-la. E a resenha só a aumentou!!!

Não me matem, mas estava sem ideias rápidas para um post não sair atrasado e essa era uma ideia que eu já tinha tido algum tempo atrás.

A Arte de Shippar: Casais pra vida toda

Existe uma coisa que é inevitável no mundo: Shippar

“Shippar? Que raio de palavra é essa, Queen?”

De acordo com o Dicionário Informal, Shippar é…

Verbo, usado quando se aprova o relacionamento amoroso de um casal. Muito utilizado na internet, o verbo ‘shippar‘ se baseia na palavra em inglês ‘relationship’ (Relacionamento).
– Ship: Um determinado casal.
– Shipper: Pessoa que torce por um casal.
– Shippar: Ato de torcer por um casal.


O mais legal disso tudo é: Você pode não ter a mínima ideia do que é shippar, mas você já shippou alguém, pode ter certeza. E não basta shippar, você tem que inventar um nome pro casal que você shippa! Justin e Selena=Jelena, Damon e Elena=Delena e etc.
Não importa se você é a única pessoa no mundo, mas a partir do momento em que você olha pra pessoa x e pessoa y e pensa: “Putz grila, eles fazem um lindo casal”, tú já tá shippando. Existem casais que são tão absurdamente fofos e “perfeitos” que são febre mundial e sinônimo de amor verdadeiro, como Brad Pitt e Angelina Jolie. 
Mas você não precisa shippar somente casais, você pode shippar qualquer coisa! Eu shipppo leite com chocolate, frio, filme e eu. 

Tenho certeza que você já shippou Yudi e Priscilla na época do Bom Dia & Cia, Sandy & Junior antes de descobrir que eles eram irmãos, aqueles casais de novela das 18 da Globo que são suuuper fofinhos e você torce pra eles namorarem na “vida real” também… Se você já pensou qualquer coisa desse tipo, você shippou. 

Esse post é sobre os MEUS casais favoritos.


01 – Brangelina – Brad Pitt e Angelina Jolie

É IMPOSSÍVEL encontrar um casal mais amado do que esses dois. São anos juntos, eles tem um filme (Sr. & Sra. Smith) onde eles também são casados… É uma conexão incrível e que todo mundo sabe ser verdade e se encanta. 

02 – Javannah – Jared e Savannah


Alô, alô, pessoal do Tumblr! Eu tenho 80% de certeza que, pelo menos, metade de vocês já viram uma foto ou vídeo desses dois. Eles não são famosos… Quer dizer, eles eram/são “conhecidinhos” por serem um casal imensamente fofo e eu não poderia deixar de fora da listinha!  

03 – Delena/Nian – Damon e Elena/Nina Dobrev e Ian Somerhalder


Alô, alô, pessoal do Tumblr (de novo)! Eu tenho certeza de que, pelo menos, 100% de vocês já viu algum gif, quote, imagem ou qualquer coisa relacionada a The Vampire Diares que inclua esses dois. E não basta a série, esses dois tiveram que namorar fora das telinhas – mesmo que por pouco tempo -, e deixar os shippers salivando ainda mais por cenas, beijos e etc deles. 
04 – Stonefield – Andrew Garfield e Emma Stone





Esse é o típico casal de filme que você torce pra ficar junto loucamente e quando finalmente acontece, eles se separam e ficam num vai-e-vem danado te deixando louco!!!!!!


Mas pelo que ouvi eles tão de volta e dessa vez é firme.  

05 – Logandra – Logan Lerman e Alexandra Daddario 

MEU GÓDI!!!!! 
Ok, esses dois são meu otp desde o Ladrão de Raios. Não dá pra fazer um remake dos filmes de PJO, simples e puramente, porque eles são o Percy e Annabeth perfeeeeeeitos! 
Eles tentaram esconder (um tempinho atrás) que estavam juntos, mas não deu. O amor deles é visto só nos olhares. É FOFO DEMAAAAAIS!









06 – Violate/Parmiga – Tate e Violet/Evan Peters e Taissa Farmiga 

MEU IBRAZINHO DO CÉU! 
Esses dois são meu otp desde Murder House, a primeira temporada de American Horror Story. [SPOOOOOOILER] Meu coração foi partido ao descobrir que ela não estava na segunda temporada e triturado ao descobrir que, na terceira, eles estariam em um triângulo amorosos (Que eu odiei, particularmente) com a namoradinha dele de verdade, Emma Roberts. [/SPOOOOOOOILER] 
A rosa preta <//////3








07 – LuAr – Lua Blanco e Arthur Aguiar 

Uma coisa que todo mundo precisa saber sobre nós, Milena e eu, é que somos fã de Rebelde. 
A segunda coisa é que esses dois sempre vão ser motivo dos nossos surtos. Quatro anos de passaram e continuamos surtando com a simples possibilidade deles se esbarrarem em qualquer lugar do mundo.
São meu otp eterno e foi a foto mais difícil de se escolher. 
Sabe por que escolhi exatamente essa foto entre tantas outras? No dia desse show, eles já tinham terminado e ele já estava “namorando” com outra garota. Não fazia parte da coreografia da música essa aproximação e troca de olhares tão forte. 
O que é pra ser, será. 



[PARCEIROS] Resenha: Verme!, de Jim Carbonera; A Esquecida, de G. Zwicker; Érica, de Larissa Barros Leal; Batalha Interior, de Fabrício Maurício.

Ano: 2014 / Páginas: 200

Editora: Boêmia Urbana

Sinopse:”Rino Caldarola narra em primeira pessoa suas desventuras e desatinos em Porto Alegre, sua cidade natal. Inconformado pela escassez de inspiração e à procura de um lugar ao sol no cenário literário brasileiro, o protagonista é o reflexo das desilusões e dos anseios que atormentam uma sociedade cada vez mais conturbada e contraditória.
Com uma narrativa insolente e exasperada, Rino constrói e defende seu espaço pessoal utilizando-se de ironia, arrogância e de um erotismo cru. Busca desvencilhar-se de sua mãe coruja e do seu bairro que outrora fora de classe média, mas agora se elitiza em nome do progresso. E, principalmente, luta para desembaraçar sua paradoxal maneira de pensar e ver o mundo.

Verme! conta a história de Rino Caldarola, um gaúcho à procura de inspiração para uma nova história.
Ele é classe média alta, não tem um trabalho com renda fixa- vive de sua escrita, está sempre de gandaia e mora com os pais.
Após o fraco lançamento de seu primeiro livro, Rino busca inspiração ao seu redor para tentar construir uma nova história de sucesso que lhe dê oportunidades Brasil afora. 

Jim constrói um livro onde enxergamos no protagonista uma pessoa real, com questionamentos e dúvidas verdadeiros. Enxergamos uma cidade boêmia e viva, onde os personagens poderiam ser amigos ou conhecidos nossos.

Não espere um romance, comédia ou fantasia. Não leia o livro se procura uma história de superação, romance adolescente/sobrenatural ou chick-lit. Verme! está fora de todos os estilos que eu já havia lido, é realismo urbano. É quase como um retrato da vida de um simples mortal à procura de um motivo, uma inspiração para viver e deixar seu legado, fazer a diferença. Não é uma história com roteiro, acontecimentos na ordem definida ou qualquer coisa desse tipo, é uma história que acontece ao acaso.

Muitas vezes, Rino parece um pequeno barco lançado ao mar, sem âncora, que é levado para onde as ondas desejam. O interessante disso tudo é que ele gosta disso.


Ano: 2005 / Páginas: 128

Editora: Yendis

Sinopse: “Numa eletrizante história onde há uma mistura harmoniosa de humor, suspense e aventura, G. Zwicker nos conta a história de Camila, uma adolescente de dezessete anos com um dom peculiar em falar com pessoas mortas. A vida dessa garota muito especial acaba se complicando quando ela conhece Dimitri, um fantasma charmoso que lhe avisa sobre Larissa, a alma que resolveu se vingar de todos os alunos da escola de Camila. Junte-se a Camila e Dimitri nessa emocionante aventura, na qual você se deliciará com incríveis personagens. E ajude a decifrar esse mistério.




A Esquecida conta a história de Camila, uma adolescente prestes a terminar a escola. Ela seria completamente normal, não fosse seu dom peculiar. Camila pode ver mortos. Falar com eles. E os ajudar a resolver problemas.
Tudo começa quando Dimitri, um fantasma, aparece na casa de Camila pedindo sua ajuda. Uma garota se suicidou e resolveu se vingar de todos que faziam bullying com ela. O detalhe é que a garota estudava na escola de Camila e amigos de Camila estão na lista.

É um livro beeem adolescente, uma leitura super rápida e super gostosa de se fazer. É um daqueles livros pra se ler no ônibus e ir trabalhar/estudar com um sorriso no rosto, após o término da leitura.



Ano: 2014 / Páginas: 272

Editora: Novo Século

Sinopse: “Moscou. Dois jovens sobrevivem a um duplo atentado que mata quase todos os seus amigos. Cairo. Uma ONG islâmica tenta escapar de uma armadilha, arquitetada por integrantes da Ordem das Doze Tribos de Israel. Washington. Na sede da Ordem, a filha de um funcionário da Casa Branca cai em ciladas para que seu pai colabore com os radicais. Pequim. Um filho procura o pai, há meses desaparecido. Fortaleza. Em uma triste manhã, Érica encontra seus pais mortos… Nessa incrível trama, todas essas histórias se entrelaçam de forma impressionante. E somente Érica, que acaba de descobrir que foi incluída em uma lista negra da Ordem das Doze Tribos de Israel, poderá impedir uma grande desgraça planejada por judeus fundamentalistas, prestes a atingir a todos.


Érica foi uma das minhas leituras favoritas do ano passado. É um livro que te surpreende a cada página e te faz questionar as ações dos personagens para entender o que tá acontecendo na história. São 5 histórias que se entrelaçam de uma maneira inacreditável e muito bem bolada. 

O livro conta a história, principalmente, de Érica. Uma adolescente nordestina, especificamente de Fortaleza, que tem seus pais assassinados e acaba se envolvendo numa confusão mundial e que mudar o rumo de muita coisa. O livro contém suspense, mistério, comédia, drama e um romance básico, apesar de não ser este o foco do livro, além de um final… Vou deixar vocês lerem para descobrir! 

Numa guerra não existem vencedores. Todos perdem… Por cada pessoa, soldado ou civil, que morre numa guerra, a humanidade perde um pouco de sua essência,e os países, parte de seu maior patrimônio… O melhor caminho é paz.



Ano: 2013 / Páginas: 212
Editora: Pandorga
Sinopse: “Vivemos em uma eterna luta interior, buscando o melhor caminho para nossas vidas. Entretanto, nos deparamos

com várias escolhas e dúvidas, qual é o caminho certo ou errado? Afinal, qual é a nossa natureza? Patrick demora muitos anos para conhecer seus vários Eus. E ainda mais tempo para identificar seus valores e descobrir qual é a sua missão nessa vida. Nesse período de descoberta, entre erros e acertos, enche sua sacola com uma coleção interminável de escolhas equivocadas, que desencadeiam um efeito dominó em sua vida. Suas escolhas o conduzem a caminhos repletos de desgraças, que acabam por testar seus limites ao extremo. Uma história de redenção, o leitor vai se identificar com conflitos, lutas, desesperanças, infortúnios e conquistas. Comparando os fatos da vida de Patrick com suas próprias escolhas.


A Batalha Interior conta a história de Patrick, um jovem decidido a ser alguém na vida e a realizar seus sonhos – por mais descabidos que eles sejam. Ele mora com seus pais, estuda e tem uma moto. 
Durante o livro, Patrick sofre altos e baixos e acaba viajando Brasil à fora para trabalhar e buscar realizar o sonho de ter uma vida mais confortável e poder dá-la a sua mãe também. Ele é um garoto muito persistente e determinado, mas a maioria de seus problemas envolve o dinheiro.
É um livro bem reflexivo que nos mostra a guerra interna que vivemos todos os dias ao ter que tomar uma escolha.